A importância da gestão de risco de crédito para uma empresa

Os valores incobráveis são um desafio para as empresas. Além de desequilibrar o fluxo de caixa, a sua ocorrência pode prejudicar muito a capacidade da empresa em cumprir com os compromissos assumidos. Porém, a gestão de risco de crédito pode inverter esse cenário.

Neste artigo, apresentaremos o que significa gerir o risco de crédito, que desafios serão enfrentados e as dicas que podem ser seguidas para garantir uma gestão eficiente.

Entenda como funciona a gestão de risco de crédito

A possibilidade de incumprimento por parte de clientes gera o chamado risco de crédito, presente em quase todas as transações financeiras que pressuponham a confiança como um de seus pilares — e esse é o caso das vendas com pagamentos a prazo.

Nesse contexto, gerir a situação é a maneira mais eficiente de reduzir os riscos inerentes ao negócio, bem como de assegurar que a sua empresa lida com os potenciais prejuízos derivados da ocorrência. Esse procedimento passa pela análise de crédito e por outras atitudes que serão verificadas posteriormente.

Em qualquer caso, o objetivo é preparar a estratégia para dois aspetos principais: redução e proteção do risco de crédito. O primeiro ponto garante tomadas de decisão mais seguras, que maximizem o aproveitamento das oportunidades de negócio. Por isso, é preciso:

  • apostar na capacitação para que a equipa deteta os riscos envolvidos na transação;
  • tomar decisões equilibradas;
  • desenvolver uma cultura de crédito sólida e alinhada às características do mercado e do empreendimento;
  • facilitar a comunicação para aumentar a transparência entre o setor e os clientes;
  • gerir apropriadamente os processos e o fluxo de informações da decisão de crédito.

Contudo, mesmo com a aplicação de todas essas medidas, diversos imprevistos podem surgir. A ideia é diminuir, ao máximo, as incertezas para aproveitar as oportunidades e gerar valor. O resultado é o aumento da vantagem competitiva.

Veja quais são os desafios dessa prática

A gestão do risco de crédito é importante em qualquer cenário económico, especialmente em períodos de crise. Dessa forma, a empresa consegue-se resguardar de interferências externas e pode alcançar um patamar mais significativo de saúde financeira.

Ainda assim, muitos são os desafios encontrados. Entre eles estão os que listamos, a seguir. Acompanhe!

Dificuldade de acesso aos dados

As informações devem estar completamente acessíveis durante 24 horas por dia. Atrasos e outros problemas influenciam o fluxo contínuo dos dados, necessário para a sua compreensão. Por isso, é imprescindível estruturar o trabalho ao máximo.

Falta de flexibilidade

As atualizações onerosas e lentas de ferramentas e modelos de risco geram sistemas desatualizados, que trazem riscos ao negócio. Por isso, as avaliações podem ser perigosas e insuficientes.

Ausência de integração nas informações

Os dados divididos em diferentes folhas de calculo e relatórios, tornam as atividades passíveis a erros e demora. É preciso que as informações estejam integradas e estruturadas para facilitar as tomadas de decisão.

Falta de automatização

Os processos de gestão precisam estar ativos integralmente, porque o risco de crédito é uma atividade complexa. Sem automatização, há impactos negativos na eficiência operacional, além de aumentarem os custos e a possibilidade de erros.

A melhor maneira de gerir essa questão passa por algumas etapas. Confira, a seguir, as  principais!

Compreenda os riscos existentes

As ameaças são inerentes a todas as transações comerciais. Por isso, é fundamental compreender o risco de crédito que impacta seu negócio. Esse procedimento passa por uma análise cuidada a nível individual, de forma que assegure a avaliação de todas as informações disponíveis.

Sem isso, é impossível saber se as reservas de capital refletem os riscos e se  são capazes de cobrir as perdas no curto prazo. Assim, o empreendimento está mais protegido.

Utilize a tecnologia

A automatização de processos em união à análise e monitorização dos riscos, garante um alinhamento mais adequado às necessidades e uma consequente redução do risco de crédito. Com software específico, é possível avaliar informações de diferentes fontes, por exemplo: bases de dados, histórico de transações financeiras, registos oficiais, etc.

Esses dados garantem mais solidez em relação às condições do cliente, o que oferece uma concessão de crédito mais segura. Por outras palavras, você protege a sua empresa do possível incumprimento, sem deixar de oferecer ao consumidor com bom histórico de pagamentos uma maneira mais fácil para pagar os produtos e serviços adquiridos.

Adote uma solução quantitativa integrada

A ferramenta adotada deve ser capaz de implementar medidas rápidas e simples para que a gestão do risco de crédito evolua. Para isso, é preciso assegurar:

modelos de gestão aprimorados que resumam o ciclo de vida da modelagem;
monitorização de limites e pontuação de crédito em tempo real;
visualização de dados e recursos inteligentes que ofereçam acesso a informações importantes para as tomadas de decisão.

Conte com ajuda especializada

Com a ajuda dos serviços da Rigorbiz alcançará uma elevada otimização na gestão do risco de crédito com a obtenção dos seguintes benefícios:

  • definição da política de crédito;
  • automatização e padronização do processo;
  • suporte na tomada de decisão.
  • aumento das vendas pela classificação de clientes de baixo risco.
  • otimização do processo e redução de despesas para tornar o procedimento menos dependente de recursos humanos e com menor propensão a erros;
  • diminuição das perdas pela limitação dos clientes com risco elevado.