5 dicas para manter a saúde financeira da sua empresa

Preservar a saúde financeira de uma empresa pode exigir uma série de cuidados que requerem dedicação e esforço por parte do diretor financeiro, mas que possibilitam, também, um maior equilíbrio das contas e expandem as oportunidades de crescimento. Assim, é perfeitamente viável evitar situações financeiras desastrosas, como a interrupção prematura das atividades por falta de recursos, por exemplo.Desde o planeamento das finanças até o relacionamento com o cliente, existem muitos pontos que podem ser desenvolvidos ou melhorados para garantir a saúde financeira da empresa. Além de evitar imprevistos prejudiciais a curto e longo prazo, uma atuação financeiramente positiva ainda estimula o seu desenvolvimento a partir de investimentos estratégicos.
Por isso, separamos as principais dicas para alavancar os negócios por meio da gestão financeira. Vamos conferir?

1. Elabore um plano financeiro estratégico

Identifique despesas fixas e variáveis, faturação mensal, lucro líquido, impostos, custos, fundo de emergência, remuneração de sócios, dívidas, investimentos etc. O levantamento e controlo dessas informações são imprescindíveis para garantir a saúde financeira da empresa.

Planear estrategicamente as finanças é primordial para manter um negócio saudável. Para isso, é importante que se definam os objetivos da empresa e também os planos de ação com os quais ela se compromete a fim de alcançar as suas metas.

Para que seja possível colocá-lo em prática, ou seja, para que seja realizável, o planeamento financeiro precisa ter aplicabilidade e estar apoiado nos recursos disponíveis que a empresa possui, incluindo tempo, dinheiro e pessoas. Para tornar as informações ainda mais claras e o processo decisório mais coeso, é preciso vdrificar os seguintes itens:

• a situação atual da empresa;
• onde ela deseja estar;
• em quanto tempo ela quer chegar lá;
• o que é necessário ser feito para o objetivo ser atingido;
• quantos recursos estão disponíveis para investimento;
• quais as áreas que necessitam de investimento.

Com isso, você terá acesso a todo o mapeamento da situação da empresa para tomar a melhor decisão. Se essas informações não estiverem claras, é importante procurar o auxílio de uma empresa com conhecimentos na área que facilite a perceção sobre os aspetos abordados.

2. Controle o fluxo de caixa

É por meio dessa ferramenta relativamente simples que terá informações importantes sobre a movimentação financeira da empresa, acompanhando as entradas e saídas de dinheiro e percebendo como elas afetam o resultado final. Além disso, é um ótimo indicativo para saber se os recursos estão a ser aplicados de forma correta, garantindo que não falte nem exista dinheiro não investido ou “sobras” de recursos.

Não é difícil deduzir que a falta de ordenamento de contas pode provocar um descontrolo das finanças e consequente endividamento. Por outro lado, os registros das movimentações podem trazer vários benefícios, como:

• facilidade no acompanhamento das contas;
• dados realísticos sobre a performance financeira;
• melhor previsão das finanças;
• maior eficácia na tomada de decisão.

Portanto, o controle do fluxo de caixa é uma forma eficiente para antecipar ações de corte de despesas ou investimentos, por exemplo, com base em informações reais do negócio. Além de evitar que, um belo dia, a empresa desperte sem condições para cobrir suas contas fixas.

3. Realize a gestão de stoks

Os stoks são parte do patrimônio da empresa e, por isso, merecem tanta atenção quanto qualquer outra área. Basicamente, além dos custos com armazenamento e manutenção, os produtos podem ficar obsoletos ou vencidos, resultando em perdas significativas.

Entre outros fatores, além de indicar quanto e quando é preciso realizar compras, a gestão de stoks fornece informações úteis a respeito das vendas da empresa.

Por isso é tão importante que sejam realizados controles de entrada e saída de mercadorias, além da gestão das relações com fornecedores. Ainda é necessário conhecer as necessidades máximas e mínimas com as quais a empresa costuma trabalhar e desenvolver um método de suprimento eficiente, que garanta o mínimo de armazenagem.

4. Tenha um fundo de emergência

Um fundo de emergência pode ser a chave para manter a saúde financeira da sua empresa mesmo quando as coisas não correm como o planeado. Com ele, é possível cobrir gastos inesperados e manter as condições de competitividade da empresa sem maiores complicações.

Imprevistos e períodos de escassez financeiras podem surgir em determinados momentos e, é por essa razão que o fundo de emergência é tão importante. É preciso estar preparado para enfrentar algumas surpresas.

O recomendado é que haja liquidez para cumprir com, pelo menos, 3 meses de despesas. Assim, é importante garantir que existam bons índices de liquidez para cobrir situações de emergência sem afetar o desempenho do negócio.

Isso evita que seja necessário obter dinheiro por meio de financiamentos empresariais ou soluções que acabem por prejudicar a saúde financeira da empresa a longo prazo.

5. Cuide dos relacionamentos

Apesar de não estar especificamente ligado à gestão financeira da empresa, o relacionamento com o público pode afetar bastante o seu desempenho.

Para visualizar melhor a situação, basta tentar imaginar cada cliente como um meio para potencializar a receita da empresa. Logo, para que seja possível que o negócio se mantenha financeiramente saudável, é necessário que os recursos entrem na empresa e que esse hábito perdure de forma satisfatória.
Clientes insatisfeitos podem significar prejuízos de formas distintas, desde o alto custo para reaver a sua satisfação até aos impactos negativos que podem trazer para a imagem da marca.

Porém, nem tudo se resume ao relacionamento com o cliente. É preciso pensar também em como estão as negociações com os seus fornecedores. É imprescindível que se estabeleça uma relação de ganhos mútuos entre a sua empresa e aquelas que lhe fornecem as mercadorias.

Além disso, também é indicado investir na confiança para que ambos estejam conscientes dos seus direitos e obrigações. Com isso, a sua empresa ganha em:

• abastecimento de mercadorias;
• descontos e benefícios exclusivos;
• melhores condições de pagamento;
• prazos estendidos.

Manter a saúda financeira da empresa exige disciplina e responsabilidade, porém, gera ótimos resultados e possibilidades de crescimento.