Como avaliar relatórios financeiros em 10 minutos

Para empresas que operam em B2B, as demonstrações financeiras da são uma ótima fonte de informações. Embora possa passar horas a analisar um conjunto de contas, existem detalhes surpreendentemente úteis que podem ser obtidos em apenas alguns minutos. Isto se souber o que procurar.

Vamos supor que está a identificar empresas que possam estar no mercado e ser potenciais clientes dos seus produtos. Agora quer descobrir quais desses potenciais clientes valem a pena ser contactados. Para isso devia fazer estas duas perguntas sobre cada uma das empresas:

Esse negócio atende aos critérios de ser um cliente em potencial?
A empresa parece ser financeiramente sólida?

Existem três fontes de informações nos relatórios financeiros das empresas que podem ajudá-lo, a saber:

  • Demonstrações de Resultados
  • Demonstração de fluxo de caixa
  • Balanço

Aqui estão alguns itens importantes desses relatórios que pode usar na sua “análise de 10 minutos”.

1. Receitas

As vendas anuais, mostra-nos se esta empresa tem o tamanho certo para ser um potencial cliente. Correndo o risco de afirmar o óbvio, mostrar o seu produto de um milhão de euros a uma empresa com vendas anuais de 250.000 € é provavelmente uma perda de tempo.
Enquanto você observa as receitas, verifique como mudaram, nos últimos anos.
Uma empresa que tem crescido constantemente tem mais probabilidade de se tornar cliente do que uma que está a diminuir. Também pode comparar a taxa média de crescimento com a média do setor para obter uma imagem mais clara do posicionamento dessa empresa.

2. Lucros

Mesmo que os números das vendas sejam bons, só são significativos se poderem ser transformados em lucros. Com base nisso, a demonstração de resultados deve ser o nosso próximo destino.

A linha do resultado líquido diz-nos com quanto dinheiro a empresa ficou depois de deduzir todos os custos. Mais uma vez, a evolução deste valor durante os últimos dá-nos uma imagem mais completa da empresa.
Também vale a pena olhar um pouco mais para a linha do resultado operacional, que é obtida subtraindo da receita apenas os custos diretos de vendas (matérias-primas, salários e custos administrativos).
Isso dá uma boa visão da parte operacional ‘pura’ do negócio, enquanto o lucro líquido é calculado após a contabilização de itens não operacionais, como pagamentos de juros e atividade de investimento.

3. Margens

As margens juntam os números das vendas e dos lucros na mesma métrica e dizem-nos quão boa uma empresa é a transformar os primeiros nos segundos.

4. Fluxos de caixa

Os lucros são um indicador importante da saúde financeira, mas como “lucro” é um conceito contábil, é diferente do dinheiro real. Em última análise, os pagamentos de juros e outras contas devem ser pagos com dinheiro real. É aí que entra o fluxo de caixa – quanto dinheiro entra e sai do negócio durante um ano.
O fluxo de caixa é obtido com a compensação de vários elementos, incluindo dinheiro levantado por meio de empréstimos bancários, dinheiro gasto em novas instalações e equipamentos e dinheiro gerado pelo negócio principal.
Este último, chamado fluxo de caixa operacional, é o mais interessante para a nossa análise de 10 minutos. É a força vital de uma empresa, uma vez que é o dinheiro real gerado pelos negócios básicos de venda de produtos e não de empréstimos de dinheiro ou venda de ativos.

Fluxo de caixa operacional negativo é uma grande bandeira vermelha, especialmente se continuar por mais de um ano, pois significa que a empresa terá de pedir emprestado ou vender ativos para permanecer no negócio.

Outro sinal de alerta é quando o fluxo de caixa operacional é significativamente menor que o lucro líquido. Isso sugere que “truques” contábeis podem estar a inflacionar os lucros.

5. Engrenagem / Alavancagem

A peça final do quebra-cabeça é determinar se a empresa está numa uma situação financeira sólida, especificamente se as suas dívidas têm o potencial de prejudicar o negócio. Há muitas maneiras de medir isso, incluindo índices que dissecam a estrutura financeira de um negócio.

Mas se você selecionasse apenas uma medida, o índice de cobertura de juros (lucro antes dos impostos dividido pelos pagamentos anuais de juros do empréstimo) seria uma boa escolha. Isso mostra quão confortavelmente uma empresa é capaz de cumprir as suas obrigações.

Juntando tudo

Isto é mais que suficiente para 10 minutos! Mas, armado com esses números, estará em melhor posição para rentabilizar os seus esforços de marketing. Eliminar as empresas que estão claramente em dificuldades financeiras é o primeiro passo óbvio. Empresas com queda de vendas e receitas, fluxo de caixa fraco e altos níveis de endividamento não estarão recetivas a novos gastos.

Quanto aos outros, as empresas com receitas em rápido crescimento podem estar a procurar por soluções que as ajudem a lidar com os efeitos colaterais de um negócio em expansão.

Por outro lado, se os seus potenciais clientes tiverem margens brutas líderes do setor, fluxo de caixa fortes e uma capacidade saudável de cobrir os seus pagamentos de juros, isso aumentará a probabilidade de que eles possam pagar pelo seu produto.

10 minutos bem passados

Analisar as demonstrações financeiras de uma empresa é em parte arte, em parte ciência. Não basta apenas olhar para uma parte das contas, todas elas devem ser consideradas em conjunto, pois essa é a única maneira de obter uma imagem real de um negócio. Uma coisa é certa, vale bem a pena 10 minutos do seu tempo.